Redes de supermercados suspenderam compra de fazendas embargadas. Para ministro, consumo consciente é a solução para a Amazônia.

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, elogiou a iniciativa de grandes redes de supermercado de boicotar a compra de carne vinda de gado criado em locais desmatados da Amazônia. “Acho ótimo. O consumo consciente é a chave da questão”, disse nesta segunda-feira (15), em evento sobre mudanças climáticas realizado na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. As informações são da Agência Brasil.

De acordo com Minc, seu ministério tentou fazer um acordo parecido com o setor agropecuarista barrar a compra de produtos oriundos de desmatamento, assim como fez com produtores de soja e madeira. Os empresários da carne, segundo o ministro, desistiram do boicote por causa da chegada da crise econômica.

“Foi uma decisão equivocada, porque no momento da crise a questão ambiental facilitaria, sendo possível mostrar que o setor estava se modernizando”, disse Minc.

Boicote
Na última semana, as redes de supermercados Wal-Mart, Carrefour e Pão de Açúcar anunciaram, em conjunto, que não comprarão mais carne de fazendas que desmataram a Amazônia.

Em nota, as empresas disseram que irão suspender compras de propriedades embargadas pelo Ibama, denunciadas pelo Ministério Público Federal (MPF) no Pará. As redes também afirmaram que irão contratar uma auditoria independente para fiscalizar a origem da carne que compram.

A ação é uma resposta a recomendação do MPF, que identificou a suposta compra de gado produzido em áreas desmatadas recentemente e de forma ilegal no estado.

Do Globo Amazônia, em Sâo Paulo