Novidade »

17/04/2015 – 13:30 | Edit Post

Um show musical Live Earth para cobrar medidas em relação às mudanças climáticas será realizado em 18 de junho em sete continentes, incluindo a. O anúncio foi feito pelo o ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al …

Read the full story »
COP 21 PARIS
Meio Ambiente

Meio Ambiente

Turismo

Interaja com os seus destinos turisticos

Revista Ecoturismo

Diariamente atualizando seus conhecimentos

Internacional
Home » Meio Ambiente

Paragominas: Mineração transforma “faroeste” em cidade verde

Submitted by on 15/05/2012 – 17:24

Antes símbolo do desmatamento, Paragominas vira referência ambiental

Município erradica o analfabetismo adulto e usa royalties para criar a nova atividade que substituirá a mineração
DO ENVIADO A PARAGOMINAS (PA)

Nada se parece com aquele passado obscuro e violento. As calçadas de pedra, a ponte de madeira, as imensas rochas de bauxita postas às margens do belo lago artificial, a infância que brinca ao invés de trabalhar.

O parque linear, que será entregue à população neste mês, deve se transformar num símbolo da mudança que essa cidade paraense, de 100 mil habitantes, vive.

Paragominas já foi a capital do desmatamento. Vista como um “faroeste”, a cidade de 47 anos, que surgiu às margens da rodovia Belém-Brasília, converteu-se em “município verde” -um exemplo que virou modelo replicado pelo Estado do Pará.

Vencedora do 9º Prêmio Chico Mendes, para iniciativas ambientais, Paragominas viveu o inferno.

Ali mesmo, às margens da Belém-Brasília, ponto de parada de caminhoneiros, havia de tudo. De prostituição a pistolagem, de trabalho infantil a mendicância.

IPTU E EDUCAÇÃO

A cidade zerou o analfabetismo de adultos ao conceder desconto de 50% do IPTU para quem fosse estudar.

O desmatamento cessou. Quarenta serrarias engoliam 300 quilômetros quadrados de floresta por ano. Hoje, menos de 1,5 quilômetro quadrado é desmatado. Paragominas deixou a lista de desmatadores do governo federal.

A criançada agora se ocupa em projetos sociais, bancados com recursos públicos e da mineração de bauxita. A Hydro já gastou R$ 85 milhões em escolas, em hospitais e no saneamento.

O dinheiro dos royalties rende à cidade cerca de R$ 900 mil por mês.

“Esse dinheiro não entra no custeio da prefeitura. É para investimento. Uma lei determina também que em cinco anos parte do recurso comece a ser gasta no desenvolvimento de outras atividades econômicas que substituirão a mineração”, afirma o prefeito de Paragominas, Adnam Demarchki (PSDB).

A exploração ilegal da madeira é passado. Crescem o reflorestamento e a produção de grãos e indústrias, como a fábrica de ração e um frigorífico de pequenos animais.

“A cidade de Paragominas é um caso raro de gestão pública no Brasil”, diz Geraldo Brittes, diretor da Hydro. (AB)

Fonte: Folha de São Paulo.
Domingo, 6 de maio de 2012.

Leave a comment!

You must be logged in to post a comment.